Junho Verde – Mês de Conscientização Mundial da Escoliose


A Sociedade Brasileira de Coluna (SBC) soma-se ao Junho Verde, mês da conscientização da escoliose. O Dia Internacional da Escoliose Idiopática (EIA) é assinalado no último sábado de junho, desde 2013, quando foi instituído o Dia Internacional da Escoliose Idiopática. A edição 2021 será celebrada no dia 26 de junho.


O presidente da SBC, Cristiano Magalhães Menezes, enfatiza que a

campanha internacional tem o objetivo de chamar a atenção da

população sobre a importância do diagnóstico precoce da escoliose e

sensibilizar sobre a prevenção e a evolução da doença.


O Grupo de Estudos de Escoliose Pediátrica da SBC desenvolve, desde 2020, um projeto em nível nacional para o tratamento cirúrgico da escoliose idiopática na rede pública de saúde (SUS), que envolve 24 centros de coluna credenciados à SBC.


De acordo com o coordenador do projeto, Prof. Dr. Robert Meves, a principal finalidade é realizar o registro nacional de portadores de escoliose idiopática, de adolescentes que aguardam, em fila de espera o tratamento cirúrgico, pelo SUS, além de verificar como a gestão pública na saúde está realizando o tratamento de portadores de EIA nos Centros de referência participantes.


“O projeto rompe com as limitações existentes na atualidade no Sistema Único de Saúde (SUS), visto que possibilitará a formação de uma lista única que irá categorizar os pacientes com escoliose e que são acompanhados por uma série de Centros de referência no país”, destaca Meves.


A criação desta lista única permitirá a categorização dos pacientes com diversas gravidades de escoliose, nos diversos níveis de atenção em saúde em ortopedia da coluna vertebral, bem como sugerir ações aos gestores de saúde, segundo o Grupo de Estudos de Escoliose Pediátrica da SBC.


Em 2015, a Sociedade Brasileira de Coluna promoveu no XV Congresso Brasileiro de Coluna, em Belo Horizonte, uma ação social inédita: “Mutirão de Rastreamento de Escoliose Infanto-Juvenil”, na Escola Municipal Marconi.


No total, dos estudantes que foram examinados, 51% apresentaram alguma alteração na coluna (28% dos casos) e foram encaminhados para avaliação complementar na rede hospitalar de Belo Horizonte. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 2 a 4% da população mundial possui escoliose idiopática, causada por um desvio de coluna progressivo e sem causa aparente. São mais de 6 milhões de brasileiros, em especial, adolescentes do sexo feminino, o grupo etário de maior prevalência com a patologia.